Um dia (chuvoso) em Lucerna

Lucerna, uma das cidades mais importantes da Suíça, fica à beira do Lago de Lucerna, conhecido também por Lago dos Quatro Cantões por banhar quatro “estados” do país. A cidade é conhecida por seus eventos ao longo do ano, pelos pontos turísticos famosos e pelas paisagens maravilhosas que o lago e as montanhas ao seu redor proporcionam. Eu fui conhecer a cidade em um dia em que choveu quase o tempo todo, então essas “paisagens maravilhosas” estavam um pouco escondidas pelo tempo ruim, mas mesmo assim o dia foi ótimo!

Fui de trem e quando cheguei na estação a primeira coisa que fiz foi ir ao centro de informações turísticas para decidir o que fazer e pegar um mapa da cidade. Foi ótimo, porque lá os funcionários disseram que a vista do alto das montanhas estava completamente bloqueada pela neblina e que não valia a pena fazer esses passeios, nos dando outras opções. Eu já falei isso antes mas não custa lembrar sempre que der: na Europa sempre tem esses centros de informações na estação central de trem ou próximo a ela, é uma mão na roda!

img_3183

O mapa que eles dão já tem uma rota turística pintada para fazer a pé, então fica muito fácil conhecer a cidade! Comecei por um passeio no City Train Lucerne (CHF10,00), um trenzinho que faz um tour de 40 minutos pela cidade, com audioguide em várias línguas, foi legal para conhecer um pouco sobre a história da cidade e sobre os pontos turísticos que iria depois a pé.

img_3150

Em seguida fiz um passeio de barco de 1 hora pelo Lago de Lucerna, simplesmente lindo, eu fico imaginando como deve ser em um dia com tempo bom! No Panorama Yacht Cruise (CHF19,00) você tem a opção de ir na parte fechada ou na aberta do barco, eles tem algumas opções de comida a bordo, além do audioguide que torna o passeio muito mais legal porque vai te falando sobre a paisagem ao seu redor e sobre algumas construções que estão pelo caminho.

Em terra novamente, percorri o caminho em vermelho no mapa para passar por todos os pontos turísticos. A Kappelbrucke (ponte da capela), uma das pontes de madeira mais antigas da europa, com sua Torre de Água, formam um dos cartões-postais mais famosos da Suíça. Na saída da  ponte, do lado oposto ao da estação, tem uma feira com várias comidas que parecem deliciosas, e umas coisas bem bonitinhas, como uma cestinha com vários tipos de abóboras.

A Hofkirche é uma igreja linda, originalmente romanesca, fica no topo de uma escada, o que dá um charme todo especial. Dentro é bem bonita, com um altar todo rebuscado. O Monumento do Leão é de cair o queixo! É simplesmente maravilhoso, muito real e muito emocionante! Ele foi esculpido direto na pedra, em homenagem aos soldados suíços que morreram tentando proteger o Palácio das Tulherias, em Paris, durante a Revolução Francesa. É “o mais triste e mais comovente  pedaço de pedra do mundo” segundo Mark Twain. Realmente merece alguns minutos de admiração, são tantos detalhes…! E acho que o lugar em que ele fica, quase que um bosque, deixa ele mais lindo ainda.

A Museggmauer é uma parte remanescente do muro que protegia a cidade antiga, feito em 1386. Neste trecho existem 9 torres, normalmente só 4 estão abertas ao público, mas no dia em que eu fui 8 delas estavam abertas à visita. São aquelas clássicas construções antigas com escadas, estreitas e um pouco irregulares. A vista do alto delas é bem bonita, mas são todas muito parecidas, então se quiser economizar as pernocas, suba em apenas uma. A mais legal, sem dúvida nenhuma, é a torre do relógio, ou Zyt Tower, que tem o relógio mais antigo da cidade, feito em 1535 por Hans Luter. Quando vemos o relógio por fora não parece nada demais, não é grande, é só bonitinho; mas lá dentro você vê todo o funcionamento, é super legal, em todos os andares (acho que são quatro) tem algumas engrenagens e é possível ver o pêndulo balançando daquele tamanhão todo, passando por um buraco no chão entre os andares!

Tem também a Spreuerbrucke, outra das pontes de madeira mais antigas da europa, com alguns painéis que retratam a dança da morte, é meio macabro mas é legalzinho. Ali do lado você vê a Nadelwehr, a barragem de agulhas, construída em 1859/60, controlada manualmente para regular o nível de água do Lago de Lucerna pela inserção ou remoção de suas agulhas de madeira.

A Franziskanerkirche (Igreja Franciscana) e a Jesuitenkirche (Igreja Jesuíta) também merecem uma visitinha, e entre elas você vai ver o Rittescher Palast, palácio que hoje abriga os governantes do cantão de Lucerna.

img_3180

Eu saí do mapa turístico clássico para subir até o Château Gütsch, você vê ele de longe, é bem bonito! Ele fica no alto do morro, quando você chegar no pé dele vai ver que tem a entrada para um elevador, que funciona como transporte público, ou seja, precisa comprar o bilhete. Tem uma seta ali que indica onde comprar, é em uma máquina da SBB, escolha o ticket de ida e volta, não uma passagem só, a não ser que você vá subir ou descer a pé (é possível). Não se esqueça disso, porque se algum fiscal for checar e você não estiver com o comprovante da sua passagem, você receberá uma multa de CHF100. Voltando ao elevador, é só apertar o botão para chamar que ele desce! Ele é todo de vidro, então tem uma vista fantástica, e lá de cima do hotel você pode caminhar um pouco para admirar mais ainda esse lugar tão lindo. Mesmo sem ser hóspede deste hotel 4 estrelas, construído em 1888, você pode fazer alguma refeição no restaurante deles, deve ser uma experiência deliciosa!

img_3172

Eu adorei a cidade e com certeza vou voltar lá para visitar o Monte Rigi e o Monte Pilatus, as duas montanhas mais famosas da região. Você pode ir para o Monte Pilatus de barco, o que já une o passeio no rio ao passeio na montanha, acho uma ótima opção. Chegando no pé da montanha (de barco ou trem) você pega um trenzinho super inclinado, lá em cima tem algumas opções de atividades para serem feitas, e a descida é feita por dois teleféricos (tem que trocar de um para o outro no meio do caminho). Esse percurso todo, que a pessoa do centro de informações me disse que leva em torno de 4 horas (depende da pessoa, não só dos transportes) custa cento e poucos francos suíços, não é muito barato, mas me falaram que vale muito a pena, se o tempo estiver bom! Falarei melhor sobre esses passeios aqui assim que conseguir um dia bonito em Lucerna!

Ps: eu sempre fiquei chateada quando estava viajando e fazia um dia chuvoso, mas na verdade a gente sempre tem o que fazer! Talvez a melhor idéia seja mesmo pedir dicas do que fazer nesses momentos nos centros de informações ao turista ou no seu hotel; eu tive um dia maravilhoso, mesmo embaixo de tanta chuva!

Boa viagem!

 

Um comentário sobre “Um dia (chuvoso) em Lucerna

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s